Tudo o que você precisa saber sobre densitometria óssea

Publicado em 29/08/2018201
Tudo o que você precisa saber sobre densitometria óssea

A osteoporose é uma doença que ataca os ossos e acomete principalmente as mulheres. O exame ideal para diagnosticar essa doença e a osteopenia é a densitometria óssea. Esse exame é capaz de detectar precocemente e de forma precisa o quanto que a massa óssea está reduzindo. Por esse motivo, esse tipo de exame é de vital importância quando é preciso fazer uma avaliação da densidade mineral dos ossos.

 

Quem deve fazer esse exame?


A densitometria óssea é mais indicada às mulheres que tenham mais de 65 anos e aos homens que tenham mais de 70 anos. No entanto, mulheres e homens com idade inferior às citadas podem realizar esse exame se preencherem ao menos um dos seguintes critérios:

 

- Se apresentam Índice de Massa Corpórea inferior a 18,5 kg/m²;

- Se sofreram alguma fratura;

- Se tomam medicações ou tiveram alguma doença que aumenta a possibilidade de ter osteoporose;

- Se fizeram o monitoramento de osteoporose e ela já foi diagnosticada;

- Para monitorar o tratamento.


Esse procedimento não é feito apenas para detectar essas doenças: ele também é utilizado para fazer o acompanhamento do crescimento das crianças e dos adolescentes. Os pediatras pedem a realização desse exame como um complemento ao Raio-X das mãos e dos punhos, pois, dessa forma, a densitometria óssea avaliará a massa óssea e o quanto de massa magra e gorda o paciente possui.

 

Quem não deve fazer?


Como em todo exame, algumas restrições também existem. Por isso, não é recomendado que esses grupos de pessoas realizem a densitometria óssea:

- Por conta da radiação, as mulheres que estão com suspeita de gravidez ou que estejam grávidas;

- Pacientes que fizeram exame que faz contraste de iodo ou de bário devem evitar a densitometria óssea por uma ou duas semanas (depende do tipo de contraste que foi utilizado. Esse tempo é necessário para que a substância seja eliminada do corpo), para que a substância não interfira no resultado. Quanto a outros exames radiológicos como a cintilografia, por exemplo, deve ser respeitado o intervalo de eliminação que o médico determinar;

- Pessoas que passaram por cirurgia ortopédica extensa ou que usam prótese extensa na região que deverá ser avaliada deverão fazer o seguinte: no caso de próteses em um fêmur, a avaliação é feita no outro (o que não foi operado); nas pessoas que possuem prótese na coluna, a avaliação é feita do fêmur e do antebraço;

- Pessoas que sofrem de obesidade grave não podem fazer esse exame, pois a maioria dos aparelhos suporta até 160 kg e uma pequena parte suporta até 200 kg.

 

Preparação para o exame


O paciente, no dia de fazer o exame de densitometria óssea, deve usar roupas que não possuam botões ou fivelas de metal, pois eles podem interferir no resultado do teste. Os colares e as pulseiras, por exemplo, também devem ser evitados, assim como os sutiãs que possuem aro de ferro.

 

Fonte: http://scandiagnostico.com.br/blog/ 


Compartilhe

Facebook

Twitter

Google+

©2015 Diagnose - Clínica da Imagem                  Desenvolvido por VBeal WebSolutions